Daniel vende bala de coco recheada com vitória

Vale a pena ler de novo! História publicada pela primeira vez em 18 de março de 2017! 

 

– Bala de coco gelada, deliciosa!

Nas ruas do Centro de Ribeirão Preto, Daniel monta a banca, senta num banquinho e, há 10 anos, passa a tarde a vender suas delícias.

Um minuto de prosa e já se percebe: há muita história a ser contada pela voz firme que anuncia as balas tentando levar o freguês.

Daniel Pereira da Silva, o homem da bala de coco, foi por 22 anos o presidiário. Revela sem pesar. O passado serviu para formar o hoje que tanto lhe traz orgulho.

– Hoje eu sou feliz. O meu encontro com Jesus mudou meu coração.

Daniel acredita que sua fé conseguiu mudar a vida que parecia predestinada a acabar no crime.

Saiu de casa aos 12 anos pela “educação rígida e escassez muito grande”, em suas palavras. Do interior de Minas Gerais foi parar no Rio de Janeiro, sozinho e sem dinheiro.

– Fui me aventurar. E essa aventura me levou a conhecer a vida marginalizada, o crime. Me trouxe danos e tristeza para a minha família.

Lembra a data exata da primeira prisão: 4 de dezembro de 1973, por estelionato. Ficou dois anos preso e no mesmo ano em que saiu voltou para a cela por furto.

A vida foi indo entre a liberdade criminosa e a prisão até 1999, em uma penitenciária de São Paulo.

– Eu me encontrava só, sem uma visita, família distante, com o vício da droga. Eu precisava de uma mudança de vida e só poderia obter mediante um encontro com Jesus. E eu me encontrei com ele.

A partir desse “encontro”, Daniel mudou de vida.

Há que se dizer também que ele teve outro apoio além do divino. Rosangela visitava o irmão na cadeia e se apaixonou pelo preso da cela ao lado.

– No começo eu não queria, não. Mas acreditei nele.

Compartilharam o mesmo tipo de fé. E seguiram juntos.

Quando Daniel deixou a cadeia, em 2001, foi para – enfim – não mais voltar.

Foi acolhido na casa da amada e do lado dela não mais saiu.

Os dois vieram juntos para Ribeirão em 2006. O irmão dele trabalhava com bala de coco e ofereceu a possibilidade, que Daniel não pensou para agarrar.

Rosangela vendia as delícias andando pelas ruas com um carrinho, mas o cansaço foi pegando e agora os dois se sentam na banca, em pontos estratégicos da área central.

Quando o movimento é bom, vendem 15 caixinhas de bala a R$ 20. Quando é ruim, um pouco menos. Mas ela garante:

– Nunca saímos sem nada.

Na igreja que frequentam, Daniel é pastor. Chegou a gravar seu testemunho em um CD, para que as pessoas saibam que a vida sempre tem mais de um caminho.

– A Bíblia diz: conheceis a verdade e a verdade o libertará. Eu fui liberto. E a libertação é muito gostosa!

Segue com a sua fé.

 

Assine História do Dia ou faça uma doação de qualquer valor AQUI!

Nos ajude a continuar contando histórias!

Todos os 3 comentários
  • cristiane candido dos santos
    Responder

    A sua história é uma lição de vida e superação que Deus ilumine sempre sua vida

  • Vanusa rodrigues
    Responder

    Oiii daniela estou apaixonada pelo seu livro cada historia uma mas linda que outra

    • Daniela Penha
      Responder

      Olá, Vanusa! Que bom saber! Fico muito feliz com seu retorno!!

Deixe um comentário

Pesquisar