No pão de Lucas tem herança de família, carinho e solidariedade

 

Texto e fotos de destaque: Daniela Penha

Ilustração: Cordeiro de Sá 

 

O cheirinho se espalha pela cozinha e parece ganhar pernas. Em coisa de minuto, a vizinhança toda fica sabendo: é hora de pão quentinho. Quem resiste? Lucas admite que não!

Depois de uma vida toda entre farinhas e fermentos, segue apaixonado pelo alimento mais antigo da humanidade. Pão: que nunca falte em nenhuma mesa.

Em sua família, a tradição se tornou negócio. Começou lá com seus avós maternos e, tal qual boa receita, foi compartilhada como herança.

Os tios-avós tiveram 6 padarias por Ribeirão Preto. A família Crispim se tornou conhecida – e querida – no ramo. Alguns ainda seguem com o negócio.

Os pais de Lucas Crispim Capua se conheceram na panificadora. A mãe dele trabalhou na padaria dos pais desde sempre. Se casaram e o marido também entrou para o ramo.

Hoje, pai e filhos tocam o grupo Biagio, com a empresa Gold Pão, que comercializa pães congelados de todo tipo para padarias, conveniências, estabelecimentos de todo o estado de São Paulo, Sul de Minas e Triângulo Mineiro, e também a Biaccino, com congelados que vão para os supermercados e chegam até o consumidor final.

São mais de mil toneladas de farinha ao mês, utilizadas para a produção de um milhão de unidades ao dia.

Se tornaram parceiros do Mesa Brasil Sesc Ribeirão neste ano e já doaram quatro toneladas de pães que chegaram à mesa de instituições filantrópicas e famílias de toda a região. A ponte entre quem quer ajudar e quem precisa para que, então, não falte mesmo pão em nenhuma mesa.

– O pão é o alimento mais antigo do mundo e o mais consumido também. É milenar. Não tem como não ser apaixonado!

Gold Pão Ribeirão

Os avós maternos viviam em Nuporanga, cidadezinha do interior de São Paulo que fica a 63 quilômetros de Ribeirão Preto e hoje tem 7,4 mil habitantes.

Lá, eles trabalhavam em uma fazenda. Decidiram partir para Ribeirão Preto em 1956 e, não se sabe bem o motivo exato, resolveram empreender com uma padaria.

– Acho que foi um insight! E deu super certo.

O primeiro negócio foi a Panificadora do Comércio, na rua Luiz da Cunha, 412, Vila Tibério. Lucas diz que desde essa época eles foram reconhecidos como um dos melhores pães da cidade.

Foi em uma das seis padarias da família, no final dos anos 70, que os pais dele se conheceram. Sua mãe trabalhava atrás do balcão e a conquista foi por completo.

O casal abriu uma padaria própria, “Pão Doce Panificadora”, em novembro de 1988, no bairro Sumarezinho. Depois, em 1993, venderam esse empreendimento e inauguraram a “Pão Quente”, em frente ao colégio Marista, rua Bernardino de Campos, Centro de Ribeirão.

Lucas nasceu em 1982. Cresceu, então, entre as receitas de farinha e o cheirinho que tornava irresistível o pão quentinho para toda vizinhança, assim como seus três irmãos.

– Eu nasci dentro de um tabuleiro de padaria.

Se lembra de acompanhar o avô nas entregas por todo lado da cidade. Na antiga Fábrica da Antártica, parte da história de Ribeirão, o tabuleiro de pão tinha cinco, seis metros!

– Desde muito cedo eu comecei a ajudar. Aos 10 anos, já ficava no caixa.

Aos 15, ele tinha uma importante função. Abria a padaria aos sábados, das 5h30 às 13h, e ganhava uma remuneração por esse trabalho. Aos 18, já estava envolvido no negócio e certo de que queria seguir na profissão. Cursou Administração de Empresas e continuou criando, empreendendo.

Além da padaria, a família teve uma fábrica de pães embalados. Depois, entregavam o pão resfriado. A dificuldade na logística, porém, mostrava que era necessário reformular a forma de levar o produto.

– Ele já chegava no ponto de assar. Era difícil pela vida útil, muito curta.

Gold Pão Ribeirão

Foi seu pai quem começou a congelar os pães. Lucas se lembra dos pães colocados no freezer quando ainda era pequeno.

– A maior herança que meu pai poderia nos deixar é o conceito do pão congelado.

A experiência com a padaria, atrás do balcão, fez com que eles soubessem dos desafios.

– Quando faltava um padeiro, a gente tinha que ir. Ou saía na madrugada para buscar o padeiro de outro turno. Quantas vezes isso aconteceu!

Tudo foi mudando. Mercados e conveniências também passaram a vender os filões e outros pães. Lucas e o pai acompanharam as mudanças.

Por volta dos anos 2000, começaram a apostar nos congelados e em 2007 fundaram a Gold Pão, que completou 13 anos neste mês. No mesmo ano, venderam a padaria “Pão Quente” e a empresa de pães resfriados foi incorporada à empresa de pães congelados.

– Vai muito além de negócio, relação comercial. Tem paixão no que a gente faz. Temos toda essa história.

Gold Pão Ribeirão Preto

A raiz familiar da empresa se mantem. Os irmãos de Lucas são sócios e seu pai, Antônio Luiz, conhecido como Toninho, não atua mais na produção, mas está diariamente na fábrica, atento a cada receita. Aos 69 anos, segue firme.

– Se não fosse meu pai não estaríamos aqui hoje.

Pão francês, filão, pãozinho: muitos nomes da mesma receita, que continua sendo a mais vendida na fábrica. Soma simplicidade à gostosura de todo dia.

– É o pão que o tem o menor número de ingredientes! Eu sou consumidor diário de pão francês!

Lucas, que hoje é o diretor executivo da empresa, não para. Se alegra com o crescimento do negócio, mas já pensa em ampliações, novos voos e horizontes.

Difícil encontrar um tempinho em sua agenda sempre apertada. Mas – ainda bem! – há sempre espaço para uma boa história!

O cheirinho se espalha pela cozinha e vai ganhando pernas. É hora de um pão quentinho e de uma boa prosa!

 

Crédito da foto 2: Agência Rafi

 

 

Clique AQUI e conheça mais sobre o programa Mesa Brasil Sesc São Paulo!

 

*Quer traduzir essa história em libras?
Acesse o site VLibras, que faz esse serviço sem custos:
https://vlibras.gov.br/

 

Mostrando 3 comentários
  • Maria da Graça Novais dos Santos
    Responder

    Sr.Crispim, avô de Lucas, foi meu vizinbo aqui no mte. Alegre; depois que ele faleceu, um dos filhos, veio morar aqui.
    Gente do bem, da paz…Honestos e trabalhadores.?????

  • Heloisa Bocaiuva
    Responder

    Lucas tremendo empreendedor, consciente, honesto e homem de Deus!

  • Laiel Cristian de Queiroz
    Responder

    Parabéns pela história,me sinto muito Orgulhoso De Ser um dos Colabores Dessa Empresa Que Vem Demostrando Seu valor No mercado e Retribuindo tudo Oque Lhe Foi Concedida…SUCESSO SEMPRE GRUPO BIAGIO ?

Deixe um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Menalton Braff escritor